quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Missionária leva clínica móvel para um distrito de Moçambique


Entre os dias 11 e 23 de outubro os moradores do distrito de Guija, localizado no sul da província de Gaza, Moçambique, puderam contar com o atendimento médico por meio de uma clínica móvel levada ao povoado pela missionária Maria da Conceição Antônio.

Mais de mil pessoas foram atendidas e medicadas nesses dias. Antes das consultas, os pacientes ouviam mensagens sobre Jesus e participam de orações promovidas pela missionária. “Cada um passava por uma ‘pesquisa religiosa’, cujo propósito era compartilhar o Evangelho. Entregamos à igreja local umas 260 fichas sobre a Palavra para serem distribuídas nos lares”, revelou Maria da Conceição.

A missionária contou com uma equipe de 23 pessoas, que além dos atendimentos na unidade móvel, também participaram de palestrar em escolas falando sobre higiene oral, sexualidade e AIDS. Fora isso, o grupo também projetou filmes evangelísticos em uma das escolas.

“No local da missão da Igreja Batista em Chokwe, onde estávamos com o trailer, tivemos cultos abertos à comunidade durante seis noites e com exibição de filmes e levantamento de desafios”, diz a missionária.

O trabalho foi autorizado pela distrital da Saúde e Educação e foi muito bem recebido pelo prefeito que até agradeceu pelo apóio prestado. “Agradeço a Deus porque a igreja não foi egoísta e pensou na comunidade. Espero que as pessoas que não conhecem ao Senhor, possam se achegar a Ele. Acredito que a missão está em boas mãos”, disse ele.

Com essa boa receptividade a missionária pretende programar essas atividades para o próximo ano e para isso pretende contar com a participação de missionários brasileiros. Na equipe deste ano apenas sete eram irmãos de igrejas do Brasil, a ideia é que caravanas participem para ampliar o número de atendimentos.

A missionária Maria da Conceição Antônio pretende firmar um acordo com a prefeitura de Guija para levar a ação para outras localidades do distrito e também para que esse evento aconteça pelo menos nos próximos três anos.

Com informações JMM