quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Impasse - consultorio-sentimental


Sou casado há 21 anos e tenho 2 filhas. A mais nova, de 12 anos, não tem as características da família. Todos perguntavam se ela era minha filha biológica. Eu desconfiava que não, mas agora confirmei que ela é fruto de um relacionamento da minha esposa com outro homem. De repente, a vida se tornou um inferno, entrei em depressão, foi como perder a minha caçulinha tão querida.

Sei que a minha esposa me ama. Sou louco por ela. Conversamos e ela também entrou em depressão por ter estragado a nossa história de amor. Nós choramos juntos. Não sei o que fazer, pois não estou preparado para viver sem ela. Não tivemos coragem de contar a nossa história a ninguém. Por favor nos ajude a encontrar um caminho para nossas vidas.

No mesmo dia em que recebi o seu e-mail, assisti a um concerto de gospel. Vestidos de lilás, os cantores entraram precedidos por uma solista inteiramente arrebatada pelo seu canto – murmúrios e vocalizações improvisadas. Sua voz tomou de imediato o espaço e os corações. Tendo atravessado a nave e se posicionado no altar, os cantores a secundaram, transfigurando-se em anjos diante de nós. Era um canto cuja letra eu só entendi depois. Dizia que falamos de paz sem falar de amor. Quando não pode haver paz sem amor. Ouvindo o gospel, encontrei uma resposta para você.

Apesar de todas as dificuldades, você não se entregou ao ódio, privilegiou o amor. Portanto tem como sair do impasse. Tendo mentido, sua esposa foi desleal e não pode ser desculpada, mas perdoada, sim. Quanto mais generoso você for, melhor será o seu futuro, o dela e o da caçulinha, que não deixou de sê-lo por não ter as suas características biológicas.

Segundo Deonísio da Silva, no latim culto, a palavra perdão é equivalente a venia. Daí a expressão jurídica data venia, que significa licença concedida. Você pode conceder uma licença à sua esposa, que é humana e está sujeita ao erro. Isso significa ser tão cúmplice dela quanto você é amigo. O fato de não ter contado nada a ninguém é, aliás, uma prova da sua cumplicidade e da sua inteligência.

Sem o perdão, a vida dos humanos é impossível. Nós somos transgressores natos e nem todos conseguem se educar vedadeiramente, ou seja, respeitar limites. Não é por acaso que o perdão existe em todas as religiões (cristã, judaica, muçulmana…) e que, para proteger Maria Madalena, o Cristo disse aos fariseus : “Quem de vós não tiver pecado, atire a primeira pedra”. Sua esposa errou. Graças a você, no entanto, ela pode se salvar e a sua vida será melhor assim. A sua e a da caçulinha também.

Por Betty Milan