segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Ativismo gay só serve para promover violência. Acorda Brasil!


Ativismo gay só serve para promover violência. Acorda Brasil!Ativismo gay só serve para promover violência. Acorda Brasil!

Posted by in Blog
No fim da década de 90, o mundo assistiu em silêncio um julgamento sem direito a defesa que culminou com a sentença de morte dada à Salman Rushdie, autor de Versos satânicos. O então lider do Islã, Aiatolá Khomeine, sem piedade expediu a sentença que se estendeu a todos os que viessem a se envolver com o livro.
Naquele momento, a Europa poderia ter se pronunciado, os EUA poderiam ter se manifestado, o Brasil poderia ter dado nota mostrando-se contrariado, mas o silêncio, o descaso, a despreocupação, desencadeou uma série de atos terroristas que chocaram o mundo.
Como resultado, o tradutor de Versos satânicos para o japonês foi assassinado. O tradutor para o italiano foi esfaqueado. O tradutor para o norueguês foi baleado, o editor turco teve o hotel em que se hospedava incendiado.
Ha alguns dias um filme de quinta categoria sobre a vida do Profeta Maomé foi o estopim para que a ira islâmica se acendesse contra o mundo ocidental e mais de uma dezena de pessoas foram assassinadas covardemente.
O fundamentalismo Islâmico é baseado na intolerância, e aqui em nosso país, há um grupo que sempre falam de nós evangélicos como INTOLERANTES E FUNDAMENTALISTAS. Basta algum de nós se pronunciar contrário às suas praticas, usando um direito constitucional, somos rotulados de intolerantes, fundamentalistas, medievais e a mais dura acusação HOMOFÓBICOS.
O termo homofobia (criado por eles) significa ÓDIO E VIOLÊNCIA contra homossexuais. Quando digo qualquer coisa que não seja o que eles querem ouvir, esmagam minha imagem na internet e me expõe como louco, desequilibrado, fanático intolerante, fundamentalista e homofóbico, ou seja, alguém que esta odiando e incitando violência contra gays.
Quero com este texto chamar a atenção dos governantes, lideres cristãos, famílias, e a quem possa interessar.
Em um seminário promovido pelo grupo GLBTT em parceria com a UNESCO E UNICEF, sob o título de “Diversidade Sexual na Infância”, liderado pelo Deputado Jean Wyllys e que na próxima semana estará a disposição de todos no youtube, vou mostrar quem são os fundamentalistas fanáticos, os intolerantes e que carregam ódio ao ponto de praticarem a violência em nome de sua ideologia.
No vídeo vocês assistirão um dos convidados do deputado já citado, dizendo: PEGAREI EM ARMAS SE PRECISO FOR PARA DEFENDER O QUE FAÇO, e a platéia tomada por militantes gays aplaudindo em êxtase!
Tentei, inutilmente, falar, mas fui impedido pelos militantes, e a ira, somada ao ódio que destilavam, me obrigaram a silenciar, detalhe, tudo isto na Câmara dos Deputados, onde estou Deputado eleito por 211.855 votos.
O mesmo aconteceu no seminário promovido pela então Senadora Marta Suplicy, e um amigo meu, Deputado Ronaldo Fonseca, teve o seu direito de falar caçado, tolhido e o silenciaram também.
Nas paradas do orgulho gay, eles zombam do cristianismo a céu aberto, vestindo-se como freiras e padres, e destilam seu ódio sob os simpatizantes colocando-os contra qualquer um que pense contrário a eles.
Hoje, a mídia os apadrinha. Até mesmo a mídia interna da Câmara dos Deputados dá aos militantes GLBTT muito mais exposição do que a qualquer outro parlamentar.
O silêncio dos intelectuais, salvo raras exceções como por exemplo o jornalista da Veja, Reinaldo de Azevedo que tem sido uma voz ouvida, coloca em cheque o futuro da família brasileira, o direito de opinião, tudo por que hoje, a maioria dos que podem escondem-se com medo de passarem vergonha, afinal, os GLBTT vociferam, atacam, xingam, usam de baixo calão, e agora avisam que pegarão em armas.
Meu gabinete sofre constantemente com ligações de ameaças de apedrejamento. Minhas filhas são atacadas nas mídias sociais. Já recebi ameaças de morte. A mídia progressista, em nome de “um futuro com liberdade plena” protegem estes militantes, que se vestem como uma MINORIA e por isso precisam ser protegidos pelo sistema, e denuncio aqui, NÃO SÃO MINORIA.
Do ponto de vista da política, minoria são grupos desprivilegiados, por não conseguirem estudos e empregos. Os gays não se encaixam nesse perfil, pois são estudados e tem ótimos empregos. Mas se escondem sob esta mentira e vão conquistando seu espaço aos gritos, à força, ameaçando, humilhando e destruindo a imagem de quem se meter em seu caminho.
Houve um dia em que a Europa e o resto do mundo podiam ter se mostrado fortes diante do Islã, promovendo um embargo econômico ou algo parecido. Por não fazerem, hoje o mundo esta apavorado.
Podem me chamar de maluco, ou dizerem que estou viajando, mas temo que chegará um dia, num futuro breve, que os que hoje podem fazer algo e não fazem, se arrependerão, ao verem militantes gays pegarem em armas, ou conquistarem todos os projetos que hoje tramitam na Câmara dos Deputados, tais como, os termos PAI e MÃE desaparecerem dos documentos para não ofenderem crianças que forem adotadas por dois homens ou duas mulheres e não saberem responder quem é o pai e quem é a mãe; ou ainda quando começarmos a ter cotas em universidades para alunos gays; ou que as crianças na primeira infância serem estimuladas a descobrirem-se sexualmente tocando umas as outras, assistidas pelos professores e professoras que hoje já afirmam, homem não nasce homem, e mulher não nasce mulher, nascem GÊNERO devemos deixa-los descobrirem-se nas creches, tocando-se sexualmente…
O cristianismo que pratico é contra a violência e o ódio. Não odeio quem quer que seja, e não pratico violência nem com formigas. Nosso Brasil é um País de todos, pacato, amoroso e bem dirigido.
O que duas pessoas fazem em seu quarto pertence a eles. Não luto contra gays, luto contra o ativismo gay. Esse ativismo financiado por instituições americanas, apadrinhado pela ONU, amparado pelo governo e beneficiado pelos cofres públicos, e que hoje afirma que pegará em armas se forem confrontados. Luto pela família. Acorda Brasil!

Fonte http://www.marcofeliciano.com.br/blog/index.php/ativismo-gay-so-serve-para-promover-violencia-acorda-brasil/