segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

“Por ser mundano, a gente esquece de Deus”, diz campeão corintiano

“Por ser mundano, a gente esquece de Deus”, diz campeão corintiano“Por ser mundano, a gente esquece de Deus”, diz campeão corintiano
Após a vitória sobre o Chelsea, os jogadores do Corinthians celebraram no meio do campo, cantaram um samba de Tiaguinho e deram a volta olímpica.
Nenhum jogador apresentou ostensivamente camisetas com mensagens religiosas, algo que foi proibido pela FIFA.
Entre os muitos destaques do clube, Emerson “Sheik” sempre se destacou por não ter papas na língua. Em 2011 ele marcou o gol do título brasileiro do Fluminense. Depois, brigou com o atacante Fred por causas não totalmente reveladas e acabou saindo do time.
Chegar no Corinthians foi um divisor de águas na carreira do jogador, que hoje é o único do Brasil a ser tricampeão nacional sucessivamente e por três times diferentes.
Pelo time de São Paulo ele foi campeão brasileiro, da Libertadores, quando marcou os dois gols da final contra o Boca Juniors, e também do Mundial.
Em entrevista ao site Terra, ele faz questão de lembrar os ensinamentos evangélicos que aprendeu em sua família. “Por ser mundano, a gente esquece de Deus. Minha história é longa e é muito sofrida. Fora a competência, tem Deus”, declarou.
O atleta não se declara evangélico e sua vida pessoal não é das mais calmas. Um jornal carioca denunciou um esquema criminoso em que o atleta teria adquirido uma BMW trazida para o Brasil pela máfia dos caça-níqueis do Rio de Janeiro.
Ele declarou à Receita Federal o valor de R$ 200 mil, que corresponde à metade do preço do carro. Três meses depois, Emerson teria vendido o carro a uma concessionária por R$ 160 mil, onde foi adquirido posteriormente por Diguinho, jogador do Fluminense. Os dois jogadores respondem a um processo por lavagem de dinheiro e contrabando de carros, podendo ser condenados a 14 anos de prisão.

Fonte gospel prime