domingo, 2 de dezembro de 2012

VOCÊ ACREDITA NA CONVERSÃO DE CRIMINOSOS?


Eles cometeram crimes que abalaram o país, foram condenados e na cadeia eles mudaram seu comportamento. Alguns chegam a afirmar que eles se converteram e se tornaram evangélicos. A polêmica fica aguçada pois muitas pessoas custam em acreditar que uma conversão ou mudança de personalidade nesses casos seja real, até mesmo muitos evangélicos duvidam dessa questão, enquanto outras pessoas acham que eles estão dissimuladamente tentando se passar por "bonzinhos". Acompanhe aqui um pouco da história de cada um desses personagens e tire suas conclusões:


Suzane Von Richthofen








Em 31 de outubro de 2002, os pais de Suzane von Richthofen foram mortos a pauladas enquanto dormiam. Os assassinatos foram planejados por Suzane e executados pelo então namorado da jovem, Daniel Cravinhos de Paula e Silva, e pelo irmão dele, Cristian Cravinhos de Paula e Silva. Os três foram condenados pelo crime. Suzane foi condenada a 39 anos de prisão.



Chegou a ser divulgado pelo Fantástico que ela teria se tornado pastora evangélica e a revelação gerou polêmica e debates na internet, por meio de sites de perguntas e redes sociais, questionando a sinceridade da criminosa ou se isso seria mais um de “seus planos” para reduzir sua pena ou ganhar dinheiro. Contudo, de acordo com o site Christian Post, a Secretaria da Administração Penitenciária de São Paulo (SAP) não confirma a informação de que Suzane seria pastora, mas ao que parece ela simplesmente frequenta cultos evangélicos e tem um bom comportamento na prisão.

Segundo o Fantástico, Suzane desfruta de um bom relacionamento entre as detentas e as funcionárias da carceragem. Segundo o promotor Paulo José de Palma, “ela tem uma personalidade muito forte, ela sabe o que quer, sabe se relacionar com as pessoas que a cercam, e isso dentro da unidade prisional também ocorre”, diz.



Anna Carolina Jatobá





Ana Carolina matou a enteada de 5 anos, Isabella Nardoni, jogando-a pela janela do sexto andar de um prédio na zona norte de São Paulo. O ato, cometido juntamente com o marido e pai da criança Alexandre Nardoni, foi motivado pelo ciúme excessivo pela atenção que o pai dedicava à filha. Em notícia dada há pouco mais de um ano, o jornal O Estado de Minas informou que Anna Carolina prega periodicamente entre as detentas do presídio de Tremembé.



Goleiro Bruno Fernandes






Ídolo do Flamengo, o goleiro é acusado de tramar o sequestro e o assassinato brutal da ex-amante Eliza Samudio, de 25 anos, e agora aguarda novo julgamento (previsto para março de 2013). Eliza pedia na Justiça que o jogador reconhecesse a paternidade do seu filho Bruninho. O goleiro nega todas as acusações, mas não convence: é preso, indiciado pela polícia e denunciado pelo Ministério Público, assim como sua mulher e amigos.

Foi dentro do presídio que Bruno passou a frequentar cultos evangélicos, ele recebeu livros diversos do pastor Márcio Valadão e também um exemplar da Bíblia. Chegou a se especular que o ex-goleiro iria se batizar numa cerimônia no presídio, mas a Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS-MG) informou que Bruno “não estava incluído entre os presos que participariam [...] Ou porque não houve a preparação [religiosa prévia] correta e o pastor quis assim, ou porque ele [Bruno] não quis. A Gente não sabe porque, mas ele que não quis participar” .



Guilherme de Pádua




Condenado a 19 anos de prisão pela morte da atriz Daniela Perez, o ex-galã global Guilherme de Pádua se converteu a uma igreja evangélica e agora percorre o país pregando a palavra de Deus e testemunhando sua história de vida.

A conversão aconteceu quando ainda estava preso. Ele diz que quando aconteceu o crime percebia nas pessoas muito ódio, mas achou conforto no amor que recebeu dos cristãos. “Hoje sou apaixonado por Jesus e por este povo evangélico, que conseguiu ver esperança onde ninguém mais via”, destacou.


Sobre essas conversões:



“Não há como determinar se a conversão de uma pessoa é verdadeira ou não, pois isso é de ordem interior e espiritual”, segundo o Teólogo apologista e doutor em Filosofia das Religiões Alex Belmonte para o site Gospel prime. Segundo ele, o real convertido pode ser conhecido por suas obras e frutos, e que só com o tempo esses fatores podem ser observados.

Belmonte afirma que o fato de uma pessoa estar presa muitas vezes à leva a refletir seriamente e tomar decisões quando está no cárcere, no entanto algumas “conversões” podem ainda possuir caráter meramente temporário, pois são baseadas na emoção.



Leia Mais em: http://www.gospelatualidades.com/2012/07/voce-acredita-na-conversao-de-criminosos.html#ixzz2DRyGUQzP