sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O REI PRECISA URGENTEMENTE DE PADEIROS!

Por Alessandro Monteiro
Com ou sem experiência, pois os súditos e servos estão correndo perigo de vida, caso não consiga logo quem saiba fazer um pão que satisfaça o povo! Que esteja disposto a “meter a mão na massa” e trabalhar para o Rei. Que saiba ouvir a voz do Rei quando ele disser o que quer que seja feito para seus filhos. Os interessados coloquem seus joelhos no chão e levantem suas vozes em oração e digam: “-Eis-me aqui, Senhor!”
O título dessa postagem tinha de ser: A hora do pão 2: a fome continua! Num calor mais escaldante que a primeira vez, dirijo-me aos átrios do Senhor para alimentar minha alma, faminta e sedenta de Cristo, na esperança de encontrá-lo e ganhar um tantinho da sua atenção, mas infelizmente fiquei perdido, parecendo que estava no lugar errado e realmente até olhei para o púlpito para conferir se estava escrito JESUS nele.
Cheguei atrasado uns 30 minutos, orei muito e clamei ao Senhor para que fechasse meus olhos carnais e para que meu espírito pudesse estar ligado no seu Trono de Glória, mas depois do terceiro louvor que o pastor cantou, intercalando com uma mensagem baseada nos “louvores”, eu já estava clamando de novo. Após o “show”, pensei, agora vai ter uma mensagem de Deus, peguei minha Bíblia todo esperançoso, mas a irmã que estava atendendo o culto chamou um rapazinho para cantar mais uma vez um louvor! Fiquei na esperança que de repente ele cantasse um “cântico novo”, não para massagear meu ego, mas que me fizesse querer louvar junto dele ao nosso Deus! Outra vez enganado por mim mesmo… Pela milhonésima vez ouvi a Igreja cantar “como Zaqueu…” O povo quando trava numa coisa, fica até enjoar mesmo, e nós evangélicos somos iguais!
Quando finalmente o “cantor” profetizou, pulou e falou muitos “cambalarassuiaecantalárai” (acho que ele anda ouvindo muito Trazendo a Arca), pois pareceu imitar o Sacer, entregou o microfone e levantamos para orar pela pregadora da noite. Agora sim, uma Palavra vinda de Deus… A pregadora, além de profeta, também era cantora… Mais uma música cheia de “gritos”, pois a santa do Senhor não era muito afinada. Depois de muito exercer o dever de suportar nossos irmãos, a irmã profetizou mais uns 10 minutos e FINALMENTE abriu a Bíblia e leu quatro versos de um dos Salmos e profetizou mais uns 20 minutos. No encerramento, cantou mais um louvor! E desta vez convidou o cover do Sacer para cantar junto com ela uma canção que não era do tom dele. Acho que nem o pastor que adora cantar não aturava mais. Depois da canção interminável da dupla, o “levita” colocou mais um playback que era maior ainda que a última canção e sem querer exagerar, o tom era mais longe da voz dele possível!
Depois dessa tortura, o pastor deu a benção apostólica e eu, já na porta, fui para casa com um sentimento estranho de não pertencer aquele lugar, como se eu fosse um herege, um pagão ou qualquer outra coisa, pois eu estava num culto e mesmo assim ali não tinha o pão que alimentava a minha alma. Mais uma vez fiquei com fome, mas desta vez a fome doeu bem mais.