quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Você é um “pregador do evangelho” ou um “profissional da fé”?



 

Uma vez mais o Espírito Santo de Deus nos incomoda a fazer uma reflexão. Estamos cumprindo ao ide do Senhor como ensinadores das Santas Escrituras com um sentimento de abnegação e alegria ou como um profissional que, independentemente da vocação, fazemo-lo por um interesse mercadológico, humano e dissociado dos propósitos Divinos?

Vejamos os principais contrastes entre um Pregador do Evangelho e de um Profissional da Fé:

Pregador do Evangelho prega o que agrada ao Senhor;

Profissional da Fé gosta de uma mensagem que agrada ao auditório;

Pregador do Evangelho tem uma mensagem Cristocêntrica e o foco sempre é a Cruz;

Profissional da Fé tem sua mensagem voltada para o homem, por isso passa o maior tempo citando Freud, Platão, Durkheim, etc..;

Pregador do Evangelho sabe que durante sua prédica quem deve chamar a atenção é a Palavra de Deus;

Profissional da Fé se deleita na chamada “Griffe de Pulpito” com aqueles sapatos de três cores, ternos espalhafatosos, relógios dourados, anéis referentes a “Supostas”  graduações, abotoaduras, camisas frisadas de cores berrantes e combinações circences, afinal, quanto mais aparecer, pensam eles, mais ficará  gravada a sua imagem;

Pregador do Evangelho tem prazer em testemunhar do que o Senhor fez;

Profissional da Fé é conhecido por sempre dizer o que fez para Deus;

Pregador do Evangelho faz a obra em qualquer lugar que o Senhor mandar, não se preocupando com o tamanho do auditório e nem se haverá reconhecimento por conta dos ouvintes, pois ele sabe que é cuidado por Deus;

Profissional da Fé tem restrições, não aceita convites para “ministrações” a qualquer tipo de auditório, entenda-se por “tipo” dimensões do templo, etnias (raças) e localizações geográficas;

Pregador do Evangelho sempre chega em seus compromissos antes do início do culto;

Profissional da Fé faz questão de chegar atrasado ao culto, afina ele é a “estrela” da noite, todos devem vê-lo adentrar pelo corredor central envergando toda sua fantasia de “Conferencista” bem como sua malfadada “Maleta Prateada” (aarrrrffff!!!!!)

Pregador do Evangelho é resignado, chora pelas almas e sofre calado;

Profissional da Fé é mercenário, desdenha das almas e a cada convite recebido contabiliza seus lucros;

Pregador do Evangelho é responsável com sua agenda, a não ser por força maior, uma vez assumido o compromisso comparecerá;

Profissional da Fé é irresponsável, sua agenda pode ser alterada facilmente, dependendo dos leilões das “”””Ofertas”””” , quem der mais leva;

Pregador do Evangelho foge da fama, sua natureza não se adapta aos holofotes;

Profissional da Fé é amigo da visibilidade, a fama é sua meta, seu cartão de apresentação é uma “Egolatria” com chamas, poses, caras e bocas, mas lhes falta a unção;

Pregador do Evangelho tem uma referência, Cristo Jesus;

Profissional da Fé sempre tem uma referência pior do que si mesmo.

Mas o que mais me agrada é que tudo isso um dia terá um fim, como registrado em Mt 25.34ss

Pregadores do Evangelho ouvirão dos lábios do próprio Senhor e Salvador Jesus Cristo:

“Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;”

Quanto aos Profissionais da Fé… bem, você sabe para onde eles vão!

Que Deus te abençoe.

Artigo cristão escrito por Armando Taranto Neto