segunda-feira, 11 de março de 2013

Julio Severo questiona abertura dada pelo Mackenzie a Jean Wyllys


Julio Severo questiona abertura dada pelo Mackenzie a Jean WyllysJulio Severo questiona abertura dada pelo Mackenzie a Jean Wyllys
Ao saber que o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) participou da I Semana Política Jorge Americano, realizada pelo Centro Acadêmico João Mendes Junior da Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP), o blogueiro e ativista pró-família Júlio Severo escreveu um artigo em seu blog criticando a abertura dada pela instituição cristã.
Em seu texto Julio cita que o certo seria a chancelaria da universidade vetar o convite feito pelos universitários que coordenam os eventos do curso de Direito. “Cabia à chancelaria do Mackenzie a responsabilidade de vetar, repudiar e rejeitar o espaço de publicidade ideológica gratuita para o notório supremacista gay”, escreveu.
O debate tinha como tema “Liberdade Religiosa e Diversidade Sexual: Um casamento possível?” tendo o Dr. Guilherme Zanina Schelb, membro do Conselho Diretivo Nacional da ANAJURE (Associação Nacional de Juristas Evangélicos) como o defensor da liberdade religiosa.
Escolhido pela chancelaria do Mackenzie, Schelb, que é Procurador Regional da República em Brasília, foi recebido com vaias pelos estudantes que lotaram o auditório para ouvir sobre um tema bastante polêmico e atual no cenário político brasileiro.
O artigo de Julio Severo repercutiu nas redes sociais e através do Facebook o revendo Augustus Nicodemus Lopes, chanceler do Mackenzie, respondeu sobre o convite feito ao deputado Jean Wyllys dizendo que os diretórios estudantis se valem da autonomia universitária para realizar seus eventos. “Só tomamos conhecimento em cima da hora”, afirma.
“Infelizmente numa universidade do porte do Mackenzie diretórios estudantis realizam eventos se valendo da autonomia universitária dos quais só tomamos conhecimento em cima da hora, como foi o caso, só nos restando achar uma pessoa para fazer o contraponto, para tentar ao menos minimizar os efeitos”, escreveu o chanceler em resposta a uma pergunta feita em sua página da rede social.
“Lamento profundamente tudo isto ocorrido em nosso quintal e em nossas costas. O evento não foi promovido pelo Mackenzie, sua reitoria ou chancelaria – jamais. Fomos pegos de surpresa. É uma pena que pessoas que se dizem cristãs alardeiam fatos e os distorcem sem qualquer conhecimento de causa”.
Extraido Gp